segunda-feira, janeiro 30, 2006

Verdades de La Palisse:

Um ex-fumador nunca será um não fumador, mas sim alguém que deixou de fumar… ( eu ando a aprender isso da forma mais difícil)

Ano de cão?

No ano do cão, a Forbes (esse belo guia para todos aqueles que não tiveram a sorte de ganhar o Euromilhões e fazem pela fortuna todos os dias) dá-nos umas luzes sobre se 2006 fará, efectivamente, jus ao dito. Para todos os que nasceram em 1978 e são cavalo como esta “doméstica”, as previsões seguem abaixo. Os restantes signos “zoológicos” poderão saber mais aqui.

 

Business Horoscopes For The Year Of The Dog

The Horse

1930, 1942, 1954, 1966,
1978, 1990, 2002


Your benefactor is the Ox.

"The Horse will find the Dog year a rather auspicious one. Your career will be smooth sailing. Though you will meet with a lot of competition and pressure in your work, luck is on your side. It is a year for making plans or learning something new. Students can expect good academic results. However, the Horse should not be too ambitious so as to avoid ending up with nothing. There are signs of hidden danger and sorrow for Horses born in 1966 and 1978. They will encounter backstabbers and find it easy to arouse misunderstandings with friends and relatives. Avoid squabbling with others, especially in winter. It will be a losing game for you. As for money luck, salaried workers will have more stability than the self-employed. If you are a salaried worker, you may discover a new source of income. If you are self-employed, there is a need to budget wisely.
Be alert for signs of overspending." --Master Sang

 

Japonesices II:

No filme “Memórias de uma gueixa” há uma situação que retrata perfeitamente o abismo entre a cultura oriental e ocidental: face à doença da mãe da que viria a ser uma das gueixas mais famosas, o pai decidiu devolver ao mar o peixe que tinha pescado. O resultado foi que todos se deitaram com o estômago a roncar de fome. O objectivo? Saborear o que é o vazio (de perder alguém)…

Tudo tem uma explicação:

Quanto à recente popularidade dos Romances Históricos, logo vi que tinha que ver com o saudosismo

Piadas de Mau Gosto:

Se a Gripe das Aves avança, vai ser Carnaval todo o ano.

E acções de bom:

São coisas como esta que nos fazem acreditar que o Natal, afinal, é mesmo “quando um homem quiser”.

Japonesices:

Esta semana há teste de japonês e ando imersa em cultura oriental. Para quem for curioso e quiser saber mais, recomendo uma visita a este site que nos recomenda uma nova expressão para cada dia do mês, ao longo de todo o ano. Eu decidi adiantar-me um dia no calendário e escolher uma que se identifica com as consequências mais negativas de ter deixado de fumar: Doushiyou. Go-kiro mo futocchatta! (Oh não! Engordei 5 kilos!) :P

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Chegou a hora de despedida:



Em jeito de homenagem ao meu ex-vício, aqui fica um texto dedicado à marca que me acompanhou em muitos bons (e maus) momentos...

(nota:clicar na imagem para conseguir ler o texto)

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Cor de burro qdo foge:


Graças à EGEAC e à Associação Sete Sois Sete Luas já não é preciso "ir a Miranda ver os Pauliteiros" porque, este fim-de-semana, eles vêm até nós. Como forma de comemorar o encerramento da Exposição Hardware + Software= Burros, estas duas entidades promovem dois dias dedicados a Trás-os-Montes que irão contar com uma Arruada e cursos grátis de língua mirandesa. Aqui ficam detalhes para os mais interessados:

Burros e pauliteiros de Miranda invadem ruas da capital

No fim-de-semana de 28 e 29 de Janeiro, Lisboa “transforma-se” na capital da cultura transmontana. Como forma de assinalar o encerramento da Exposição Hardware + Software = Burros, a EGEAC e a Associação Sete Sóis Sete Luas promovem uma Arruada, onde pauliteiros e gaiteiros de Miranda vão desfilar pelas ruas da cidade, acompanhados por burros mirandeses. Para além de música e animação, esta iniciativa conta ainda com cursos de mirandês.

A arruada está marcada para as 14 horas de sábado, 28 de Janeiro, com início no Castelo de São Jorge. A partir do Castelo, os 22 Gaiteiros e Pauliteiros de Miranda, “escoltados” por seis burros mirandeses, vão seguir para o Largo de Santa Luzia, descendo em direcção à Igreja de Santo António, onde vão fazer uma primeira actuação. De seguida, o cortejo prossegue até à Rua Augusta, para um segundo espectáculo, apresentando-se ainda para mais duas actuações frente à Pastelaria Suiça, no Rossio e junto à Pastelaria Brasileira.

O percurso de volta ao Castelo vai ter paragens para mais três espectáculos na Rua do Carmo, Rossio e Rua Augusta, estando o regresso ao ponto de partida previsto para as 17h30.

No Domingo os gaiteiros e pauliteiros de Miranda do Douro voltam a dar um espectáculo no Castelo de São Jorge, entre as 10h30 e as 12h00.

Durante o fim-de-semana, quem quiser saber mais sobre a Língua Mirandesa, vai poder frequentar um curso de iniciação, totalmente gratuito, ministrado pelo Prof. Amadeu Ferreira, docente na Faculdade de Direito de Lisboa e um dos mais conhecidos estudiosos do mirandês. As aulas vão decorrer na Sala Ogival do Castelo de São Jorge, entre as 15 e as 17 horas de sábado e domingo e as inscrições podem ser feitas através do telefone 21 880 06 20, estando limitadas a 30 participantes.

Estas actividades estão integradas na exposição “Hardware + Software= Burros”, de autoria do fotógrafo italiano Oliviero Toscani, que ainda pode ser visitada até ao dia 31 de Janeiro.



terça-feira, janeiro 24, 2006

Apanhado no ar:

Acabei de saber que a actual Azinhaga dos Besouros era a antiga (e saudosa) Porcalhota. É caso para citar um anúncio que eu cá sei e dizer bem alto: “não é uma promoção”!

Achado não é roubado:

Com este post se inaugura uma nova rubrica da Mulher-a-Dias que dá conta das pérolas que por aí andam à solta na Blogosfera:

 

Uma maiúscula...

Chegou-me à cabeça uma ideia que se prende com o facto de em certos casos uma maiúscula poder fazer toda a diferênça, senão veja-se:

Ser-se Padrinho:

-É mandar e ser respeitado tendo assim poder
-É ter criados
-É jantar no topo da mesa
-É ter um anel onde pessoas beijam, nomeadamente pessoas mais velhas
-É ter sempre um charuto no bolso de dentro do blaiser
-É ter um chapéu de abas largas(esta é tão obvia que nem ponho,apesar de já ter posto)
-É poder ameaçar uma pessoa com um ar de charme(que mete mais medo ainda)
-É poder usar relógio de bolso
-No fundo é ser-ser Dom Corleone

Ser-se padrinho:

-É em primeiro lugar ter um afilhado, com toda a conotação negativa que advém de se ter um afilhado(imagine o leitor que tem um afilhado de 12 anos,gordissimo,que anda em bicicletas já não apropriadas para a sua idade e que parte tudo lá em casa...)
-É se-lo só por interesse económico dos pais do menor
-É ter pouca relação com os pais do menor(estranho!!)
-É dar meias da marca Lassie pelos anos ao tal puto gordo
-É em principio ser natural do norte do país
-É no casamento do puto gordo,usar um fato esverdiado e comprido nas mangas
-É no casamento do puto gordo,usar uma gravata além de curta com um nó mal feito
-É no casamento do puto gordo,ficar com as bochechas rosadinhas
-É no casamento do puto gordo,gostar de comer leitão da Bairrada

Penso que não é preciso dizer mais nada...

 

In Paranóias Avulsas

Friends will be Friends

Depois de um longo interregno, os “melhores amigos” estão de volta! Parece que a coisa só se vai dar porque Jennifer Aniston e Cia não conseguiram resistir  “ao valor oferecido por quatro programas, mais de 3, 6 milhões de euros para cada um dos seis actores”, noticia o JN. Para mim tanto faz. Agiotas, ou não, o que importa é que o Chandler Bing está de novo em acção!;)

sexta-feira, janeiro 20, 2006

Reader's Digest:

Nunca gostei de empregados de restaurante que "fazem conversa". Para mim, um bom empregado é como um árbitro de futebol: quanto menos damos por ele melhor.

 

In http://www.frangosparafora.blogspot.com/

Match Point:

Depois de ver a última obra-prima do Woody Allen, cheguei à conclusão que a sabedoria popular se confirma mais uma vez: “todos os sacanas têm sorte”. Pronto! Lá tomei as decisões de ano novo erradas. Devia era armar-me em Skywalker e passar de x para o “Dark Side”. Afinal, são as “meninas más” que vão a todo o lado, n é?

 

Aliás, se analisarmos os contos infantis, apercebemo-nos facilmente que os vilões são SMP pessoas muito mais interessantes e expeditas. Olhemos para a Bruxa Má… mil xs mais sedutora que a desgraçada da Cinderela. E o Lobo Mau? Com objectivos na vida (um pouco animalescos é certo, mas tem-nos!), ao contrário dos tontinhos dos porquinhos que não têm interesse nenhum! E o Capuchinho Vermelho? Haverá lá criança mais sensaborona e idiota? Está bem que os vilões acabaram mal, mas isso foi só porque não foram bafejados pela sorte. Isto parece contrariar a teoria defendida inicialmente, mas não! Eles só foram azarados porque houve alguém – o autor- que manipulou o seu destino. Se fosse na “vida real”, a  Bruxa Má tinha ofuscado rapidamente a Gata Borralheira, que continuaria a dormir na chaminé, com o sapatinho de cristal há muito empenhado para pagar as dívidas à Cofidis. Os Porquinhos já seriam apenas um pedacinho entalado nos dentes do Lobo Mau, do qual ele facilmente se livraria com a ajuda de um palito e do Capuchinho, Vermelho, só mesmo o sangue que ficaria para trás depois do festim do Lobo…

 

 

quinta-feira, janeiro 19, 2006

Laranja faz bem!

Pelo menos ao bolso! Eu até nem gosto especialmente deste fruto, mas, por uma vez, vou abrir excepção. O mérito deve-se à livraria Barata  da  Av. De Roma que decidiu render-se à loucura colectiva dos saldos. Até 28 de Fevereiro, basta procurar nas prateleiras os produtos abençoados com um  autocolante laranja. De artigos de papelaria, a livros de edições anteriores a 2003, tudo pode ser comprado a partir de 0,50€. Aproveitem e vão munidos de um bom carrinho de compras!

 

 

 

 

 

 

 

terça-feira, janeiro 17, 2006

Verdades de La Palisse:

A pior coisa de trazer trabalho para casa, é estar rodeada de tanta ociosidade à volta (e eu que nunca fui muito autodisciplinada..)

sexta-feira, janeiro 13, 2006

6a sem DNA:

O fim anunciado do DNA consumou-se hoje. O suplemento dá lugar à “6ª”, a nova revista que tem em Pedro Rolo Duarte o timoneiro ao leme editorial. Embora saia numa sexta-feira 13, ainda é demasiado cedo para dizer se será uma “6ª” de sorte…ou de azar.

E andamos nós cá para isto?

Maria José Salavisa morreu ontem, no Hospital da CUF. Tinha 80 anos e um percurso profissional recheado. Goste-se ou não, é discutível, mas é também inegável que a arquitecta merece reconhecimento. Daí que me deixem atónita títulos como o do 24 Horas, que dá conta que “morreu a decoradora da Kapital”. Acho que uma vida devia valer mais…

quinta-feira, janeiro 12, 2006

Descubra as diferenças:

E eis que passados escassos segundos da publicação do post abaixo, nos chega ao e-mail a seguinte descrição do candidato Alegre: “Gosto do alegre. Acho q tem ar de tio do campo. Assim de parente afastado q mora num monte alentejano ou numa quinta do norte”. Ainda diz a “outra” que nesta vida não há coincidências!

Importa-se de repetir?

“Jerónimo de Sousa tem presença forte em cartazes. É daquelas caras de homem sólido que todos apreciamos. Parece dos nossos, o tio da província, trabalhador e afável, casado com uma senhora que faz óptimos bolos e é encantadora com os netos.”

 

Ricardo Monteiro (presidente da Euro RSCG, Diário de Notícias, 12 de Janeiro de 2006)

quarta-feira, janeiro 11, 2006

O Senhor Bob:



Ontem uma amiga da minha irmã foi jantar lá a casa. Discutíamos as obras que decorrem nos nossos prédios (além de vizinhas, ainda compartilhamos este infortúnio) quando ela refere que estava farta dos “senhores Bobs”. Profícuas como somos a inventar expressões, achei que esta era uma das mais recentes criações. Mas não! Quando a inquiri sobre o significado da dita, contou-me que era da autoria do sobrinho. A história é a seguinte: o miúdo perguntou à mãe várias vezes pelo “senhor Bob”. Ninguém parecia entender até que ele desvendou o mistério: o “senhor Bobera o mestre de obras que, na realidade, dá pelo nome de Senhor Gomes. No entanto, como ele vê os desenhos animados homónimos, achou que todos os dignos representantes daquela profissão deviam ser apelidados assim. Se a moda pega, passamos apanhar o táxi dos “senhores Noddys” e chamamos o Super Mário quando tivermos problemas na canalização!

terça-feira, janeiro 10, 2006

O meu clube é melhor que o teu:


























A foto do dia com os cumprimentos da malta do Burgo da Discórdia.

sexta-feira, janeiro 06, 2006

Sorriso amarelo

Uma notícia publicada hoje no Jornal Digital dá conta de que “os portugueses sorriem cada vez menos nas fotos publicadas pelos jornais”. Oartigo não dá conta dos motivos, enunciando apenas os vários tipos de sorriso existentes e que “os que mais frequentemente aparecem nos jornais diários portugueses são o fechado e o superior e que correspondem a indivíduos entre os 35 e os 60 anos. Nas fotografias das crianças constatou-se a exibição do sorriso largo.” Eu arrisco um porquê: são as únicas que desconhecem o que as espera. “Perdoai-lhes Senhor, que não sabem o que fazem”!

Apanhado no ar:

A carta é como casamento, filhos, baptizados, religioes, whatever – só adere quem quer .

 

By Bridget Jordan

 

quinta-feira, janeiro 05, 2006

























Já comprei a minha nova agenda.

[Agora basta pôr vida lá dentro]

Informação a bem da Nação

Antes de votar, recomenda-se a muito boa gente este “curso intensivo” adaptado à 7ª arte:

 

Os Poderes do Senhor Presidente

#


Exibição de um filme de animação, realizado por Abi Feijó e produzido por Paulo Cambraia, sobre as funções do Presidente da República: os seus poderes e o modo como estes se relacionam com os outros órgãos de poder instituído e com os cidadãos. Dia 7 de Janeiro, às 17h00, na Videoteca Municipal de Lisboa.

 

Informações úteis: Entrada Livre

                             Largo do Calvário,2

                             7 de Janeiro, sábado

                             www.videotecalisboa.org

#

 

Ano novo, pulmões novos?


Sou fumadora há quase 10 anos. Comecei numa idade idiota, quando atingi a maioridade e já devia ter juízo. Afinal, quem é que inicia este tipo de vício aos 18? O que é certo, é que, rapidamente, passei de uma não fumadora convicta e facciosa (era daquelas pessoas desagradáveis que pigarreava e abanava a mãozinha com ar enjoado sempre que estava na presença de um fumador) a uma dependente a 100%. Não tenho problemas em admiti-lo: sou viciada. Não fumo socialmente, nem por prazer, nem depois das refeições, nem pouco. Faço-o compulsivamente e pertenço ao clube que nem sequer aguenta não ter consigo um maço de cigarros.

Já tentei deixar de fumar por diversas vezes e, o máximo que consegui, foram dois meses livres dos malditos cigarros. Agora, ofereceram-me a “chave” para uma nova vida. Ou pelo menos, para uma com menos alcatrão acoplado. Não estava à espera, confesso. Mas não posso dizer que não. Devo-o a mim e a quem acredita em mim com tanta convicção. Obrigada. Vou tentar não ter que devolver este presente…


quarta-feira, janeiro 04, 2006

Já acabou...

…e deixa saudades o [ano] que passou.

>