segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Demónios interiores

Sentei à minha mesa
os meus demónios interiores
falei-lhes com franqueza
dos meus piores temores

tratei-os com carinho
pus jarra de flores
abri o melhor vinho
trouxe amêndoas e licores

chamei-os pelo nome
quebrei a etiqueta
matei-lhes a sede e a fome
dei-lhes cabo da dieta

conheci bem cada um
pus de lado toda a farsa
abri a minha alma
como se fosse um comparsa

E no fim, já bem bebidos
demos abraços fraternos
saíram de mansinho
aos primeiros alvores
de copos bem erguidos
brindámos aos infernos
fizeram-se ao caminho
sem mágoas nem rancores

Adeus, foi um prazer!
disseram a cantar
mantém a mesa posta
porque havemos de voltar



Jorge Palma in "Norte"

2 passaram o espanador

Blogger Efémero said...

Então? Vieram e não partiram? :P
Se é o caso já sabes como funciona: fight fire with fire, iron with iron, demons with demons… well, you know where to find me ;P

12:25 da manhã  
Blogger Psico_Pata said...

Isto é pior q o aeroporto:há muitas partidas mas também há sempre mais chegadas;)

2:14 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

>