sexta-feira, junho 04, 2004

Nada

Sei não saber nada.

Nada que abarca tudo.

É um conhecimento mudo,

Oratória de boca fechada.

Não sinto que deva partilhá-lo.

Porque o faria?

Não terá o sábio a sabedoria,

Mesmo que não possa prová-lo?

Por isso o tenho para mim.

Tenho-o em nada ter.

É como haver um jardim,

E ninguém o poder ver.

E esse jardim floresce

Em ervas ocultadas.

Quem disse que em nada acresce,

Aquele de palavras caladas?

Sei não saber nada.

Mas o nada o que é?

Nada é apenas nada.

E saber também não é.

(Nada seria tudo se o tivesse)

inEntreLinhas,19-10-2002

0 passaram o espanador

Enviar um comentário

<< Home

>